quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Resposta de um concursado ao Lula

Já que falou de mim, concursado, sinto-me no direito de responder:


Senhor Ex-presidente, por mais ladrão que seja, sou concursado, com muito orgulho!


Para chegar lá, estudei, me dediquei, fiz uma prova tensa no concurso com o maior índice de candidatos/vaga daquele ano.



Após isso, passei 3 anos por um estágio probatório, para então, definitivamente, me efetivar no cargo. Na minha prova não adiantava eu mentir, nem tentar desqualificar meu concorrente. Tentar iludir o aplicador da prova com promessas de políticas sociais de nada adiantariam. Apontar para o colega do meu lado fazendo prova e alegar que ele mentia nas respostas e que ele iria acabar com o bolsa família, caso fosse aprovado, de nada serviria.



Não usei verba desviada de nenhuma empresa estatal para financiar a taxa de inscrição do concurso que fiz. O salário que recebo não me permite comprar sítios ou triplex. Não disponho de imunidade parlamentar, não disponho de auxílio moradia, nem paletó. Não sou financiado por empresas privadas e bancos.



Ser político é muito fácil. Dispensa estudo (vide o senhor). Dispensa atestado de bons antecedentes (vide o senhor). Dispensa conduta ilibada no exercício da função (vide o senhor). Para eleger-se, bastam mentiras bem contadas, projetos que iludam o povo, uma barba bem feita e um marqueteiro de primeira (vide o senhor).



Acusações, falsas ou não, contra o candidato opositor também são válidas. Aí, de 4 em 4 anos, vai pra rua pedir voto, equipado de obras superfaturadas, desvios de verbas e patrocínio de empresários e banqueiros, que doam dinheiro sem nenhum interesse.



Pão e circo funcionam desde a Grécia antiga, não é agora que vai falhar!



E finalizo lançando um desafio para o senhor. Nada complexo, nada difícil, eu consegui, o senhor mesmo julga ser fácil:




PASSE NUM CONCURSO!

Autor: Leo Mattos (O autor é agente de suporte educacional em Vila Velha, E.S., concursado aprovado em 2011, lotado na Secretaria de Educação e Cultura do Estado do Espírito Santos). A publicação neste blog foi autorizada pelo mesmo (c) copyright 2016 - direitos autorais reservados ao Autor, representado pelo advogado Sergio Iannini. Atenção meios de comunicação: É autorizada a reprodução deste post desde que citada a fonte e o endereço de nosso blog. Obrigado.

Curta nossa página no facebook:


https://www.facebook.com/drsergiofonsecaiannini/



E siga-nos no twitter:

https://twitter.com/driannini

Nenhum comentário:

Postar um comentário